Steampunk-train.jpg

CRIADORES

As mentes por trás desse Universo

a-todo-vapor-steampunk-ator-atores-elenc

FELIPE REIS

Criador e Diretor

Felipe Reis (38) é Paulistano e desde criança sabia que sua carreira seria na área artística, atuando, produzindo conteúdo e/ou dirigindo. Em 2002 se formou ator pela Escola de Teatro e Televisão INCENNA, onde também lecionou como professor de interpretação para TV e Cinema de 2008 a 2012. Em 2007, formou-se em Rádio e Televisão pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo. No mesmo ano, debutou como diretor. Já dirigiu mais de 30 curtas-metragens, criou 5 webséries, incluindo a pioneira do Brasil chamada “Conversas de Elevador”, dirigiu um piloto para série de TV e gravo 3 videoclipes. Foi indicado a 4 prêmios no Rio Web Fest de 2015 e semi-finalista com 2 webséries no Los Angeles Film Fest de 2017 e já venceu o Festival do Minuto (2019).


Como ator, Reis fez o personagem Léo em Chiquititas, em 1999 transmitida pelo SBT; apresentou o programa Nossa Língua da TV Cultura de 2009 a 2011, e fez diversas participações em novelas, sendo as 3 últimas em “As Aventuras de Poliana” (SBT) 2018, “Totalmente Demais (GLOBO) 2017 e “Amor Sem Igual” (RECORD) 2020. Seu canal no YouTube, Serotonina, já teve mais de nove milhões de acessos.


Atualmente está focado no projeto transmídia “A Todo Vapor!”, co-criado com Enéias Tavares, série audiovisual com distribuição da O2 Play e disponível na Amazon Prime Video que já resultou em quadrinhos, um romance e um jogo de cartas. Nela, Reis atua como showrunner, diretor e ator, sendo responsável por dar vida a Juca Pirama, um dos protagonistas. A Todo Vapor! foi vencedora de melhor série de Drama no Global Film Festival Awards Los Angeles 2018 e indicada à melhor série de Thriller no New York City Web Fest 2018 e à melhor filme no Cubo de Ouro 2019. Além dessas indicações, Reis foi indicado à melhor ator de Sci-Fi New Jersey Web Festival também em 2019.

Enéias-Tavares-foto-equipe-a-todo-vapor

ENÉIAS TAVARES

Criador e Roteirista

É professor de Literatura Clássica na Universidade Federal de Santa Maria, onde orienta trabalhos de pós-graduação sobre os livros iluminados de William Blake e literatura fantástica. Em 2014, foi o vencedor do concurso Fantasy!, da editora LeYa, entre mais de 1400 participantes. Pela LeYa Brasil publicou "A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison" (2014), primeiro volume de Brasiliana Steampunk, e pela editora Avec publicou “Guanabara Real – A Alcova da Morte” (2017), este vencedor do prêmio Le Blanc de melhor Romance de 2017. Junto de Bruno Matangrano é o responsável pela exposição “Fantástico Brasileiro”, exposição itinerante que compreende uma história da literatura fantástica brasileira desde o século XIX até o presente. Brasiliana Steampunk enquanto universo transmídia já ganhou card game, audiolivro, suplemento escolar e estão em produção uma história em quadrinhos e uma websérie.
Em Novembro lançará pela Editora Dark Side o romance "Parthenon Místico".