Buscar
  • Enéias Tavares & Felipe Reis

XII - Noitário de A Todo Vapor! – Um Tour pelas Locações – parte 1

Por: Felipe Reis (de acordo com pesquisas no Google, principalmente em textos extraídos das próprias prefeituras).

10 de dezembro de 2020



ATIBAIA


Bem-vindo a bordo do Tour das locações da 1˚ Temporada de A Todo Vapor.

Na 1˚ Temporada de A Todo Vapor nós passamos por 10 cidades do Estado de São Paulo.

Pronto para conhecer um pouquinho de cada uma delas???

Vamos por ordem alfabética, tá?


A história do município de Atibaia está diretamente ligada à atuação dos bandeirantes, desbravadores de terras virgens que lideravam pequenas comitivas exploradoras, em busca de índios e pedras preciosas.

Partindo, em sua maioria, de São Paulo, o destino preferido era Minas Gerais e seus tesouros. Como a viagem era longa e árdua, exigia muitas paradas para descanso e reabastecimento. A primeira delas, ainda nas proximidades de São Paulo, ficava numa colina banhada por um rio, que os índios chamavam de tubaia ou atubaia (em língua indígena: "água agradável ao paladar").

Logo, um dos bandeirantes, exímio conhecedor da região e descendente de uma das mais conhecidas famílias da vila de São Paulo, Jerônimo de Camargo fixou-se no local, fundando uma fazenda de gado e construindo uma pequena capela sob a invocação de São João Batista, inaugurada no dia 24 de junho de 1665, data que marcou a fundação do município. Vindo do sertão com um grupo de índios guarus catequizados, por ordem da Câmara Municipal de São Paulo, o padre Mateus Nunes de Siqueira instalou-os ao lado do sítio de São João Batista.

Nesse momento, o local fixou-se como parada obrigatória para quem seguia em direção a Minas Gerais e o povoado começou a desenvolver-se lentamente.

Jerônimo de Camargo faleceu em Jundiaí, no início de 1707, porém seu trabalho teve sequência por meio de seus descendentes nas fazendas de gado, inclusive em relação à luta pela emancipação do vilarejo. Quarenta anos depois, por alvará em 13 de agosto de 1747, a aldeia tornou-se "freguesia" e assim nasceu o distrito de São João de Tybhaia, escrito assim mesmo, com Y e BH, conforme a grafia da época.



Pouco mais de duas décadas mais tarde, a corte portuguesa elevou o distrito de Tibaia à categoria de vila e município, em 1769.

Independente e com administração própria, a vila progrediu rapidamente. De fato, em pouco tempo tornou-se uma espécie de celeiro da capital paulista, graças ao grande desenvolvimento da pecuária e da cultura de cereais, principalmente de trigo.

Pela Lei Provincial 26, em 22 de abril de 1864, recebeu o título de município. Em dezembro de 1905, o município de São João de Atibaia passou a se chamar apenas: Atibaia.

Famosa pela Festa das Flores e do Morango que acontece na primavera, Atibaia mostra que tem muito a oferecer, em especial para quem viaja com a família.




Os casais animados, porém, também encontram diversão e adrenalina com os vôos duplos de asa-delta e paraglider; e uma boa oportunidade para resgatar o romantismo: que tal deixar as crianças brincando e subir a Pedra Grande para namorar enquanto o sol se põe?




A Pedra Grande, aliás é o cartão-postal da cidade, fica a 1.450 metros de altitude e é acessível através de caminhada ou escalada. Os esportistas marcam presença ainda na Reserva do Vuna, uma área de proteção ambiental com 23 quilômetros de trilhas em meio à Mata Atlântica, cortando riachos e cascatas e apresentando toda a diversidade da flora e da fauna da região.

Quem não quer saber de esforço físico deve seguir para o Parque Edmundo Zanoni - com bosques, áreas gramadas, lagos com pedalinho e viveiros - ou para a Represa da Usina, de onde partem passeios de barco.


Mas vamos falar do A Todo Vapor, né? Onde gravamos lá?

Nossa locação foi a Estação Atibaia, espaço que recebe diversos formatos de eventos, desde pequenas recepções personalizadas, como também grandes eventos e comemorações.

Um cenário único. Em uma área de 205.000 m2.


A Estação de trem tem plataforma de embarque e desembarque e 2,3 km de linha ferroviária

A Estação Atibaia oferece também um grande acervo ferroviário com locomotivas, vagões, bonde e peças do século passado para compor a ambientação. Foi o espaço ideal para representar a Estação Vila Antiga dos Astrônomos.

Lá gravamos, além de todas as cenas de interior de trem, aproveitando esse acervo incrível que eles tem, uma cena de crime, onde dois corpos são encontrados perto de um vagão abandonado.

O rio Atibaia que passa nos fundos da propriedade, deu um charme a parte e aparece na nossa série também. Olha ele aí.

Obrigado ao Rogério Martins por acreditar e incentivar a cultura brasileira e preservar nossos patrimônios históricos.


Abaixo algumas fotos.



Dentro do vagão que gravamos a chegada à Vila Antiga dos Astrônomos.


Ano de Fabricação: 1893, Fabricante: Baldwyn L. Works, Procedência: EUA





Vagão de Passageiros: Ano de Fabricação: 1893, Fabricante: H & Hollingswork, Procedência: EUA, Ferrovia de Origem: companhia Paulista

Vagão de Passageiros: Ano de Fabricação: 1893, Fabricante: H & Hollingswork, Procedência: EUA, Ferrovia de Origem: companhia Paulista






E aqui abaixo você poderá conferir alguns frames da série nessas locações:

Juca cochilando à caminho da Vila Antiga dos Astrônomos, onde muitos mistérios o aguardam.

Estação Vila Antiga dos Astrônomos


Clima nada ameno no vilarejo.



Delegado Leonardo Pataca recebe os heróis na Estação.

Rio Netuno (nossa versão para o Rio Atibaia)

Juca Pirama e Vitória Acauã investigam mais dois corpos encontrados.


Vitória sempre atenta, com sua máquina Pictográfica.

Capitu e Juca embarcam ao lado da enigmática Nioko Takeda.








Se você gostou dessa coluna, compartilhe em suas redes sociais e indique aos seus amigos. Nossa principal meta com esta websérie é criar algo inédito em nosso país: Um Universo de Super-Heróis que tenha a nossa cara e fale a nossa língua. Em outros termos, uma Liga Extraordinária totalmente Tupiniquim!



1 visualização0 comentário
 

Formulário de Inscrição

21 971434903