Buscar
  • Enéias Tavares & Felipe Reis

III Noitário de A Todo Vapor! – Deitando as Cartas

Por: Enéias Tavares


Nessa terceira entrada do Noitário da Produção da websérie A Todo Vapor!, Enéias Tavares consulta os arcanos do tarô para criar uma aventura inquietante no interior de São Paulo & de quebra entrega qual será um dos vilões deste projeto audiovisual: Pamu, o Venerável!




Eu sempre adorei “murder tableaux” – cenas teatrais de assassinato –, desde O Silêncio dos Inocentes – de Jonathan Demme – até o próprio Hannibal – falo da série de Bryan Fuller –, ou mesmo os assassinatos inspirados pelos pecados de Se7en – Os Sete Crimes Capitais – dirigido por David Fincher – ou as mórbidas recriações bíblicas da 6ª temporada de Dexter. Mas me perguntava por que ninguém – até onde sei – havia criado assassinatos inspirados no tarô, sobretudo nos arcanos maiores, que já apresentam uma composição pictórica ideal para mentes perversas e amantes do gore? Indo ainda mais longe: e por que não fazer algo assim no Brasil?

Foi essa pergunta que me levou a um dos primeiros projetos transmídia de Brasiliana Steampunk: um tarô baseado nos personagens do primeiro e do segundo livro da série. Em sua versão atual, feita pelo mestre da arte digital Marcus Lorenzett, temos os arcanos maiores compostos em versões nacionais e steampunk, disponibilizados no site oficial [http://brasilianasteampunk.com.br/conteudo-extra/taro/] de Brasiliana. Para este projeto, contei com Raul Cândido, não apenas um dos fundadores do Conselho Steamunk no Brasil, como um tarólogo já experiente nessa arte antiga, fascinante e, para alguns, assustadora.


Tarô Brasiliana Steampunk: Para Consultar seu Passado, Futuro ou seu Presente!


O tarô é um jogo de cartas comumente associado com artes mágicas e arcanas, mas além disso ele é um construto imagético e simbólico que dialoga com energias psíquicas e emoções bem primitivas, sendo estudado até hoje não apenas por magos e místicos, como também por historiadores, artistas e psicólogos. Como os heróis de Brasiliana Steampunk são em grande maioria estudiosos de magia, nada mais adequado do que unir um interesse pessoal a um mistério envolvendo assassinatos em série ou crimes ritualísticos, não?

Minha primeira produção nessa temática resultou no conto “Solfieri de Azevedo & A Estalagem dos Enforcados”, conto que foi publicado na Revista Trago 11 [http://trasgo.com.br/solfieri-de-azevedo-a-estalagem-dos-enforcados/] e que contou com ilustrações de Karl Felippe – o mesmo artista que assinaria os concepts de A Todo Vapor! Na trama, o investigador satanista Solfieri de Azevedo – sim, o herói do clássico gótico Noite da Taverna – é chamado por uma policial gaúcha para investigar uma série de crimes mórbidos que transformaram os arcanos em medonhas reproduções malignas!


Conto Publicado da Revista Trasgo de Fantasia e Ficção Científica


Além de Solfieri, o conto conta com uma participação mais que especial: O Temível Dr. Louison, que aparece para revelar que tais mortes objetivam ressuscitar o demônio milenar Pamu, o Venerável! Ora, por que não usar essa mesma ideia, porém levando-a para o interior de São Paulo, usando-a como pano de fundo para o mistério que Juca e Capitu iriam investigar em Paranapiacaba das Névoas? Ainda mais, que tal fazê-los continuar uma investigação já em curso na capital paulistana, o que acabaria por revelar uma conspiração nacional dos asseclas de Pamu para trazer o ancestral e pérfido demônio ao nosso plano físico!

A partir dessa hipótese, teríamos uma boa desculpa para fazer nossa dupla de investigadores contatar os heróis sulistas do Parthenon Místico! Com essa abordagem em mente, comecei a trabalhar no roteiro de A Todo Vapor!, sempre contando com as ideias de Felipe Reis, que se não foi coautor do roteiro, foi cocriador do seu argumento. Boa parte das ideias que mais funcionam na websérie resultaram de vários & longos áudios trocados no Whattsap entre maio e junho de 2017. Entre elas, a de fazer Capitu de Machado – Thais Barbeiro – ser chamada por uma velha amiga de Paranapiacaba.



Capitu mirando o mistério dos Crimes do Tarô – Foto de Fabio Ghrun


Que outra personagem feminina da nossa literatura brasileira seria tão icônica quanto Capitu, senão a perspicaz Aurélia Camargo, criada por José de Alencar em Senhora? E se essas duas mulheres fossem amigas e esta tivesse algum envolvimento com os ditos crimes? Com essa ideia em mente, numa tardinha fria de junho, deitei os arcanos maiores do tarô no tapete da sala – com incenso queimando, Arcade Fire tocando e felinas se rolando – e dessa inusitada sessão, quatro cartas surgiram: O Enforcado, Os Amantes, A Roda da Fortuna e A Morte.

Quem poderia auxiliar nossos dois heróis – e a este humilde roteirista – na resolução desses terríveis crimes? Na próxima semana, vamos revelar quais personagens de A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison – LeYa – você reencontrará em A Todo Vapor! Se você gostou dessa coluna, compartilhe em suas redes sociais e indique aos seus amigos. Nossa principal meta com esta websérie é criar algo inédito em nosso país: um Universo de Super-Heróis que tenha a nossa cara e fale a nossa língua. Em outros termos, uma Liga Extraordinária totalmente Tupiniquim!



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

Formulário de Inscrição

21 971434903